cinco_tendencias_tecnologicas_que_nao_pode_perder_2017

As cinco tendências tecnológicas que não pode perder em 2017

Parece que a nuvem veio para ficar e deixar para trás serviços que estão a tornar-se obsoletos face ao galopante avanço das TI (Tecnologias de Informação). De acordo com Gartner, as soluções de comunicação unificada na cloud (nuvem) são já consideradas a “escolha preferida devido à economia, flexibilidade, confiabilidade, segurança e escalabilidade superiores”. Por isso, o tradicional sistema telefónico PBX será cada vez mais caro quando comparado com os serviços alojados na nuvem.

A empresa de análise de TI vai mais longe e afirma que, durante este ano, este serviço será responsável por 25% das comunicações em linha e que as empresas devem estar preparadas para o dia em que esta tecnologia vai ultrapassar as instalações fixas, ao nível da utilização. Algo que deverá acontecer nos próximos anos.

 

Prepare-se para a revolução digital que está a chegar, as novas tendências tecnológicas

Por isso, é muito importante que a sua empresa se antecipe a esta realidade e comece a adaptar-se às soluções TI na nuvem. Tome nota dos seguintes conselhos:

1. Operadoras vão disponibilizar aplicações para melhorar esta experiência: A comunicação móvel está bem presente se considerarmos que estes dispositivos são cada vez mais uma ferramenta de negócios. A aposta na mobilidade é já considerada indispensável e as operadoras de telecomunicações tentam acompanhar o ritmo ao disponibilizar aplicações e soluções de conexão de alta qualidade. Este é o primeiro passo que está a ser dado para que o empresário consiga usufruir dos recursos que tem ao seu dispor, a partir do telemóvel. Esta gradual integração do software empresarial com os dispositivos móveis será impulsionado em 2017. Acompanhe a evolução do mercado e faça a sua escolha baseada na qualidade e no serviço que mais se destaca da concorrência.

2. Aplicações de colaboração vão fazer a diferença: Certamente já ouviu falar do assistente Siri da Apple. Este tipo de aplicações tende a padronizar-se e começam a ser comercializadas soluções que recorrem à inteligência artificial e à análise preditiva para se tornarem colaboradores virtuais, auxiliando-o por exemplo na procura de informação, que estará integrada na nuvem. Esta ferramenta irá fornecer-lhe todos os dados que necessita para a reunião que agendou. As previsões são que esta tecnologia seja disponibilizada a partir da nuvem, por ser mais fácil de implementar.

3. Transição tecnológica: A Rede Telefónica Pública Comutada (PSTN) está em fase de encerramento e a ser substituída pelas redes IP terrestre e móvel. Uma evolução que tem sido acelerada em virtude da alteração de comportamentos. Ou seja, a população prefere a rede móvel e os serviços multimédia ao telefone fixo. Perante isto, as operadoras estão a migrar os serviços, pelo que terá cada vez maior dificuldade em encontrar soluções abrangentes e de qualidade que não passem pela comunicação móvel. Esteja atento, pois é provável que os seus fornecedores comecem a migrar os serviços para a nuvem.

4. Colaboração integrada e à distância veio para ficar: Revela o relatório de Kleiner Perkins Caufield & Byers (KPCB) sobre as tendências da Internet que, quando se fala de dispositivos móveis (telemóvel, nomeadamente), “as mensagens estão a evoluir de simples conversas sociais para conversas de negócios”. Um indicador importante sobre a mudança de comportamentos do empresariado, cujas exigências das funções o obriga a estar permanentemente contactável, mesmo quando está fora da empresa. Por outro lado, o cliente também recorre cada vez mais ao email, pelo que as soluções baseadas na nuvem facilitam a integração de ferramentas de trabalho colaborativas e de comunicação. No final, a equipa torna-se mais produtiva e gere melhor a relação com os clientes.

5. Alojamento em nuvem privada ainda tem mais adeptos: Nomeadamente entre as grandes empresas que olham para esta funcionalidade como um risco para a segurança dos dados, caso seja pública. Porém, tal pode estar a mudar. A alteração da visão sobre o conceito de segurança e a perceção de que as informações estão seguras numa nuvem pública (para os elementos da empresa que dispõem dessas permissões) tem contribuído para a evolução desta ferramenta. Além de que esta funcionalidade permite tirar maior partido da sua capacidade de escalabilidade, de fornecimento de recursos de gestão e é mais barata. Por outro lado, a evolução tecnológica possibilitou o desenvolvimento de medidas de segurança que agradam às empresas, pelo que o caminho será a nuvem pública.

Ficou impressionado com o que a nuvem pode fazer pelo seu negócio? Consulte a Winsig para uma avaliação das TI que tem implementadas na sua empresa e confie nos nossos consultores para fazer a migração das suas plataformas de comunicação para a nuvem.

 

Dora Loureiro – Winsig

FacebookTwitterGoogle+